| |

Compartilhar está notícia

O mais “elétrico” salão do Automóvel

Modelos híbridos e elétricos começam a aparecer no Brasil e serão as estrelas da 30ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo

A medida vai aumentar a oferta de modelos menos poluentes ou totalmente limpos no País, “mas ainda não é suficiente para promover uma massificação”, ressalta Megale. A indústria defendia IPI de 7% para todos os veículos “verdes”, mesma alíquota dos carros 1.0.

Ainda assim, quase todas as montadoras devem mostrar no salão modelos importados que já estão à venda ou que serão lançados até o próximo ano. A General Motors apresentará o Bolt, compacto 100% elétrico com autonomia de 400 quilômetros, e a Nissan o novo Leaf, ambos para início de vendas em 2019.

Dos 2.754 veículos “verdes” vendidos neste ano, apenas 158 são elétricos e os demais são híbridos. Em igual período de 2017 foram vendidos 2.352 veículos, sendo 111 elétricos e os outros híbridos.

Segundo Marcelo Cioffi, sócio da PwC do Brasil, no mundo todo a venda de modelos puramente elétricos ainda é pequena pois, além do custo elevado, é preciso infraestrutura para abastecimento. Já as vendas de híbridos crescem mais rapidamente e o mesmo deve ocorrer no Brasil, mas no longo prazo. “O Brasil ainda é um país onde a maior parte dos carros vendidos é de modelos de menor custo e os elétricos têm alto custo.”

A BMW levará ao salão três híbridos plug in, o i3 e o i8 – com preços entre R$ 200 e R$ 800 mil -, e uma novidade ainda não revelada. “A estratégia global da empresa é pela eletrificação e até 2025 teremos 25 modelos e certamente alguns virão para o Brasil”, afirma Gleide Souza, diretora da empresa.

A Toyota trará o inédito Prius Híbrido Flex, que usa etanol no lugar da gasolina para gerar eletricidade. O carro foi testado em percurso de São Paulo a Brasília e agora passa por adaptações. “Estamos avaliando a venda, mas primeiro será importado pois o mercado não tem volume que justifique a produção”, diz Ricardo Bastos, diretor da companhia. O modelo na versão a gasolina custa R$ 125 mil. A Lexus, marca de luxo do grupo, vai mostrar o NX 300, que custa R$ 220 mil. A Audi terá quatro híbridos no estande (A6, A7, A8 e Q8), a Ford duas versões do Fusion (uma delas plug-in), a Kia três (Soul EV, Optima e Niro) e a Volkswagen o Golf GTE.

Marcas que não participam do salão também têm projetos para ampliar vendas. A Volvo oferece os híbridos plug-in XC90, XC60 e S90T8. A BYD vende os elétricos E5 e E6 e em 2019 trará o Song. A Tesla tem as versões S e X, que custam R$ 1 milhão.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais de 20 automóveis de variadas marcas estão confirmados para a mostra, que ocorrerá entre os dias 8 e 18 de novembro no São Paulo Expo Exhibition. Alguns poderão ser dirigidos pelos visitantes em área reservada para testes, entre os quais o BMW i3 e o i8 e Renault Twizy e o Zoe. No primeiro dia do evento haverá uma carreata pela cidade com cerca de 30 carros movidos a eletricidade, promovida pela Abravei, associação de donos de veículos inovadores.

Outra novidade do salão será um espaço para palestras sobre mobilidade, com temas voltados aos veículos eletrificados, conectados e autônomo. “Vai ser o salão mais elétrico de todos”, afirma o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale.

Um empurrão ao mercado de híbridos (com um motor elétrico e um a combustão) e elétricos (100% a energia) será dado a partir do próximo mês, com a entrada em vigor da nova tabela do Imposto sobre Produtos Industrializados. O IPI para híbridos vai variar de 7% a 20% e, para elétricos, de 7% a 18%, dependendo da eficiência energética e do peso do carro. Hoje é de 25%.

A medida vai aumentar a oferta de modelos menos poluentes ou totalmente limpos no País, “mas ainda não é suficiente para promover uma massificação”, ressalta Megale. A indústria defendia IPI de 7% para todos os veículos “verdes”, mesma alíquota dos carros 1.0.

Ainda assim, quase todas as montadoras devem mostrar no salão modelos importados que já estão à venda ou que serão lançados até o próximo ano. A General Motors apresentará o Bolt, compacto 100% elétrico com autonomia de 400 quilômetros, e a Nissan o novo Leaf, ambos para início de vendas em 2019.

Dos 2.754 veículos “verdes” vendidos neste ano, apenas 158 são elétricos e os demais são híbridos. Em igual período de 2017 foram vendidos 2.352 veículos, sendo 111 elétricos e os outros híbridos.

Segundo Marcelo Cioffi, sócio da PwC do Brasil, no mundo todo a venda de modelos puramente elétricos ainda é pequena pois, além do custo elevado, é preciso infraestrutura para abastecimento. Já as vendas de híbridos crescem mais rapidamente e o mesmo deve ocorrer no Brasil, mas no longo prazo. “O Brasil ainda é um país onde a maior parte dos carros vendidos é de modelos de menor custo e os elétricos têm alto custo.”

A BMW levará ao salão três híbridos plug in, o i3 e o i8 – com preços entre R$ 200 e R$ 800 mil -, e uma novidade ainda não revelada. “A estratégia global da empresa é pela eletrificação e até 2025 teremos 25 modelos e certamente alguns virão para o Brasil”, afirma Gleide Souza, diretora da empresa.

A Toyota trará o inédito Prius Híbrido Flex, que usa etanol no lugar da gasolina para gerar eletricidade. O carro foi testado em percurso de São Paulo a Brasília e agora passa por adaptações. “Estamos avaliando a venda, mas primeiro será importado pois o mercado não tem volume que justifique a produção”, diz Ricardo Bastos, diretor da companhia. O modelo na versão a gasolina custa R$ 125 mil. A Lexus, marca de luxo do grupo, vai mostrar o NX 300, que custa R$ 220 mil. A Audi terá quatro híbridos no estande (A6, A7, A8 e Q8), a Ford duas versões do Fusion (uma delas plug-in), a Kia três (Soul EV, Optima e Niro) e a Volkswagen o Golf GTE.

Marcas que não participam do salão também têm projetos para ampliar vendas. A Volvo oferece os híbridos plug-in XC90, XC60 e S90T8. A BYD vende os elétricos E5 e E6 e em 2019 trará o Song. A Tesla tem as versões S e X, que custam R$ 1 milhão.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

"Mutio mais notícias"

"Automático"

Dicas para dirigir bem um carro automático

"Não perca dinhero"

Trocar ou Vender: Dicas para evitar a depreciação do carro.

"Compre seguro"

Dicas para comprar um veículo seminovo

"Vender bem"

Dicas para vender o seu automóvel

:) Mais Dicas:

:) Escolhidas

Como comprar bem o auto seminovo

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação, o segmento de usados e seminovos está em alta Leiam

Recall

Toyota chama Hilux e SW4 para recall por problema nos air bags

Financiamento

Juros menores incentivam financiamento de carros.

Compare as taxas

Roubados

Os 03 carros mais roubados no Rio de Janeiro em 2017: Hyundai HB20:Nissan Versa:Fiat Grand Siena

Recall

Chevrolet faz recall de Onix, Prisma, Cobalt e Spin por risco de incêndio

Fiat Mobi 2019

Hoje, vendido por R$ 34.690, o Fiat Mobi Easy agora custa R$ 32.590, redução de R$ 2.100.Essa redução abriu espaço para a nova versão Easy Comfort. Custa R$ 35.690 e soma o ar-condicionado e as rodas aro 14, além das mesmas calotas da versão Like.

Alta de 70,73% nas vendas

Carros elétricos e híbridos têm alta de 70,73% nas vendas.

Regramento aprovado pela agência reduzirá incertezas e favorecerá investimentos do setor privado na infraestrutura de recarga de veículos.Carros elétricos: expectativa da Aneel é de que a propulsão elétrica alcance uma posição relevante no país nos próximos 10 anos. Leiam e saibam muito mais...Cliquem...!!!

ECONOMIA

Econômico, KWID tem a robustez de um SUV e o consumo de um compacto

O Renault KWID foi projetado para oferecer potência, mas sem deixar a economia de lado. O SUV dos compactos é equipado com um motor 1.0 SCe, que é mais leve e gera menos atrito interno. Sem correia, o propulsor de três cilindros e 12 válvulas garante o melhor consumo da categoria: até 15,2 km/l com gasolina e até 10,5 km/l com etanol – selo A de eficiência, segundo o Inmetro.Além da economia, o motorista que dirige um Renault KWID desfruta de muito conforto durante os trajetos. O amplo espaço interno e o design robusto, com extensor de para-lamas e a maior altura do solo do segmento, permitem encarar qualquer desafio com comodidade.Leiam como foi o lançamento

Personalizadas

Mais lidas:

Seminovo

Compre bem

Enquanto o mercado de veículos 0km no país ainda mostra os primeiros sinais de recuperação,

SCOOTER-SH-150i-2017

Cliquem leiam mais notícias

Conheça o Scooter Honda SH 150i - Elegante do seu jeito.A partir de R$ 12.450.

Moto Honda

Leiam mais

O modelo traz pouco em itens de série, mas compensa com agilidade, robustez e economia....

VOLTAR TOPO