Recomendamos

Novo Honda Civic começa com experiência virtual DETALHES
Ford Fusion 2017 estreia no Brasil em setembro DETALHES
Range Rover Evoque nacional preço R$ 224 mil DETALHES

NOTÍCIAS

Multas ficou até 244% mais caras a partir do dia 2 de novembro em todo o País

Usar o celular enquanto dirige ou estacionar em vagas de deficientes e idosos passam a ser infração gravíssima, o valor da multa de celular será R$ 293 As multas de trânsito vão ficar mais caras a partir de novembro deste ano, quando entrará em vigor a lei Nº 13.281, de 4 de maio de 2016, sancionada na semana passada pela presidente Dilma Rouseff e já publicada no Diário Oficial da União. Com os novos valores, as infrações leves passarão a cobrar R$ 88,38 frente aos R$ 53,20 válidos atualmente. Já as multas gravíssimas, as mais caras, passarão de R$ 191,54 para R$ 293,47. O último reajuste geral aconteceu em 2002 e, desde então, foram feitas apenas alterações em algumas infrações específicas consideradas mais perigosas. Vale destacar que certas infrações gravíssimas têm incidência do fator multiplicador por dois, três, cinco ou até por dez, elevando assim os valores para até R$ 2.934,70. É o caso, por exemplo, de se recusar a fazer o teste do bafômetro, incluído agora na legislação brasileira. Recusar-se a fazer "teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa" vira infração gravíssima com o valor da multa multiplicado por dez, mais suspensão do direito de dirigir por 12 meses, recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo. E se houver reincidência no prazo de 12 meses a multa dobra, indo a R$ 5.869,40. Usar celular virou infração gravíssima Antes não havia no Código de Trânsito Brasileiro um artigo específico que tratasse do uso do aparelho celular enquanto a pessoa estivesse dirigindo. O que a lei exigia era que o condutor estivesse com as duas mãos no volante, exceto ao manejar equipamentos do veículo como o rádio ou para trocar de marcha. Dessa forma, dirigir enquanto segura o aparelho celular era considerada infração média. Com a nova lei, contudo, o artigo 252 passa a descrever como infração gravíssima "no caso de o condutor estar segurando ou manuseando telefone celular". O "manuseando" está aí para incluir quem manda mensagens ou olha a sua timeline em redes sociais, permitindo assim punir não só quem fala ao telefone enquanto dirige. Estacionar em vagas de deficientes e idosos também é gravíssima O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) sofreu alterações e a partir de novembro todas as multas ficarão no mínimo 53% mais caras, de acordo com o Senado Federal. Algumas estão mais de 300% mais salgadas, como utilizar o celular ao volante, que hoje rende multa de R$ 85,13 e quatro pontos na CNH, e passará a custar R$ 293,47. A multa de velocidade (até 20% acima do permitido) sairá de R$ 85,13 e saltará para R$ 130,16. Em casos de registros de 20% a 50% acima da velocidade, o valor salta dos atuais R$ 127,69 para R$ 195,23. Quem for flagrado por radares em velocidade 50% maior do que o previsto seguirá cometendo infração gravíssima e levando sete pontos na carteira (que, multiplicados por três, resulta em apreensão da CNH e suspensão do direito de dirigir), mas o valor da multa pulará de R$ 574,62 para R$ 880,41. Veja, na tabelinha ao lado, um resumo divulgado nesta quinta-feira (20) pelo Senado que mostra os valores atualizados das infrações mais comuns (celular, velocidade, sinal vermelho e estacionamento em vagas prioritárias). Estes são os novos valores: + Leve (3 pontos): de R$ 53,20 para R$ 88,38 + Média (4 pontos): de R$ 85,13 para R$ 130,16 + Grave (5 pontos): de R$ 127,69 para R$ 195,23 + Gravíssima (7 pontos): de R$ 191,54 para R$ 293,47 + Gravíssima x3 (21 pontos): de R$ 574,62 para R$ 880,41 + Gravíssima x5 (35 pontos): de R$ 957,70 para R$ 1.467,35 + Gravíssima x 10 (70 pontos): de R$ 1.915,40 para R$ 2.934,70

  • Página Principal
  • Vitrine